Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Debaixo Da Língua

Debaixo Da Língua

Escrito na Água de Paula Hawkins

1540-1.jpg

             

Sinopse:

 

Um thriller intenso, da autora do bestseller mundial "A Rapariga no Comboio". Cuidado com as águas calmas. Não sabemos o que escondem no fundo. Nel vivia obcecada com as mortes no rio. O rio que atravessava aquela vila já levara a vida a demasiadas mulheres ao longo dos tempos, incluindo, recentemente, a melhor amiga da sua filha. Desde então, Nel vivia ainda mais determinada a encontrar respostas. Agora, é ela que aparece morta. Sem vestígios de crime, tudo aponta para que Nel se tenha suicidado no rio. Mas poucos dias antes da sua morte, ela deixara uma mensagem à irmã, Jules, num tom de voz urgente e assustado. Estaria Nel a temer pela sua vida? Que segredos escondem aquelas águas? Para descobrir a verdade, Jules ver-se-á forçada a enfrentar recordações e medos terríveis há muito submersos naquele rio de águas calmas, que a morte da irmã vem trazer à superfície.

 

 

Opinião dela:

 

É um livro completamente diferente do "A Rapariga no Comboio", apesar de ser da mesma autora. O tipo de escrita mantém-se, não sendo, contudo, tão ao estilo de um diário onde é descrito tudo o que a personagem faz durante o dia. Em vez disso, cada capítulo descreve o que cada personagem faz, pensa ou sente, podendo ainda descrever memórias que façam sentido ser explicadas para se entender certos pormenores nas relações das personagens.

 

Outra das diferenças é o aumento significativo do número de personagens que são principais para o desenrolar da história. Os acontecimentos são contados por 9 personagens principais, sendo ainda referidas ao longo do enredo outras várias que contribuem para o mistério. Ao inicio torna-se complicado entender quem são as personagens e as ligações que têm entre si, situação que vai mudando conforme a leitura vai progredindo.

 

Apesar do grande mistério do livro ser a possível homicídio/suicídio de Nel, ou seja, a ocorrência de uma morte tal como no anterior livro da autora, a investigação que roda o acontecimento é completamente diferente, uma vez que não é apenas a Jules (irmã de Nel) a procurar por respostas e a encontrá-las sozinha. Neste thriller todas as personagens contribuem e posso afirmar que dificilmente se descobre o assassino, uma vez que a autora não aponta para apenas uma única personagem, dando antes motivos a várias delas, o que torna difícil acertar com o assassino logo desde o inicio.

 

O final está muito bem conseguido, havendo um capítulo para cada personagem, onde é descrito o seu final. Tenho a dizer que uma revelação feita apenas nessas ultimas páginas é realmente importante e deixa o leitor de queixo caído.

 

Para concluir, em forma de resumo, tenho a admitir que no inicio me encontrava um pouco reticente em ler este livro, uma vez que já tinha lido "A Rapariga o Comboio" e não fiquei fã (achei a história aborrecida e demasiado cliché, situação que me levou a não entender todo aquele entusiasmo e loucura que houve com o livro), contudo "Escrito na Água" está muito melhor que o anterior fenómeno da autora, apresentando uma história muito mais envolvente e que me fez não querer parar de o ler até chegar ao fim. Definitivamente aconselho a sua leitura a todos os que gostam deste estilo de livro e mesmo aos que procuram uma quebra na rotina das suas leituras.

 

-J-

 

Opinião dele:

 

Paula Hawkins voltou! Depois de "A Rapariga no Comboio", Paula Hawkins voltou com um novo thriller.

Devido à sua escrita entusiasta e inovadora Paula surpreendeu com "A Rapariga no Comboio", por essa razão o seu regresso foi deveras aguardado pelos média e pelos leitores mais entusiastas. Mal soube que Escrito na Água estava nas bancas corri, o mais rápido que pude, para a livraria mais próxima.

 "Escrito na Água" é um thriller surpreendente e diferente dos demais. Este livro inicia-se pela morte de Nel, protagonista de todo o enredo, mulher obcecada pelo rio e pelos acontecimentos que lá se passaram. Nel vive esta obsessão o mais intensamente possível, sendo capaz de morrer para desmistificar todos os segredos do poço.

A narrativa do livro é dividida em 9 personagens, e cada uma delas conta a sua versão da história, deixando o leitor cada vez mais baralhado. O excesso de personagens torna o início do livro um pouco confuso, aconselho uma leitura calma e bastante atenta, pelo menos na parte inicial.

Para concluir, "Escrito na Água" superou todas as expectativas e Paula Hawkins trinfou, de uma forma brilhante, o dom pela escrita. O final é, simplesmente, soberbo.

Tratar-se-á de suicídio ou homicídio?

-L-