Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Debaixo Da Língua

Debaixo Da Língua

A Fábrica de Bonecas de Elizabeth Macneal

 

Sinopse

Uma história inebriante sobre uma mulher que sonha ser artista e o homem cuja obsessão pode destruir o mundo dela para sempre.

Londres, 1850. O edifício que albergará a Grande Exposição está a ser construído em Hyde Park. No meio da multidão que ali se junta, duas pessoas encontram-se por mero acaso. Para Iris, uma aspirante a artista, aquele é apenas um encontro efémero, esquecido passados poucos segundos. Mas para Silas, um colecionador fascinado por coisas estranhas, aquele momento marca um novo começo…

Quando Iris é convidada a posar como modelo para Louis Frost, um pintor pré-rafaelita, ela aceita, com a condição de que Louis também a ensine a pintar. De súbito, o mundo de Iris transforma-se numa experiência dominada pelo amor e pela arte, indo além de tudo aquilo com que sempre sonhou.

Só que o mundo de Iris pode ruir a qualquer momento, pois Silas só consegue pensar numa coisa desde o primeiro encontro de ambos. E a sua obsessão torna-se cada vez mais sombria…

 

Opinião dele

Quando o livro saiu fiquei fascinado pela capa, e depois fiquei deveras empolgado com a história. Há algum tempo que ando à procura de um romance histórico com uma mística de suspense.

“A Fábrica de Bonecas” conta a história de Iris, uma rapariga simples, apaixonada e devota por uma transformação no pensamento humano relativamente às mulheres da sociedade. Iris é lutadora, inteligente e altruísta, adorei a personalidade forte da personagem, consegui sentir a dificuldade que as mulheres da altura sentiam. Ela tem um enorme sonho, ser uma pintura famosa, por esse motivo aceita a proposta de Frost para ser sua modelo. Silas, outra personagem principal, é um grande admirador de Iris (apesar de secreto!), porém é um homem pobre, descuidado e ganancioso, que tenta conduzir a vida de todos a seu proveito. O enredo gira em torno destas três personagens, acabando por se tornar num triângulo amoroso e de obsessão.

Adorei toda a narrativa, apesar de achar que o enredo é arrastado e algo lamacento, o que por vezes me custou a pegar na leitura como eu adoro. Senti que falta alguma coisa ao livro para o tornar no LIVRO, talvez seja ritmo. No entanto, a história desperta-nos inúmeros sentimentos, paixão, humor, repulsa, raiva e angustia, o que o torna rico em termos de narrativa. Relativamente ao final posso afirmar que fiquei: e agora? Quero mais…

Será que Frost é um homem correto?

-L-