Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Debaixo Da Língua

Debaixo Da Língua

Levaram Annie Thorne de C. J. Tudor

Sinopse

Naquela altura…

Uma noite, Annie desapareceu. Sumiu da sua cama. Houve buscas, apelos. Todos pensaram o pior. E depois, miraculosamente, após quarenta e oito horas, ela voltou. Pensou-se que não queria ou não conseguia dizer o que lhe acontecera.

Mas alguma coisa aconteceu à minha irmã. Não sei explicar o quê. Só sei que quando voltou, já não era a mesma. Não era a minha Annie. Não queria admitir de forma alguma que às vezes tinha um medo de morte da minha irmãzinha…

Agora…

O e-mail chegou à minha caixa de correio há dois meses.

Quase o apaguei de imediato, mas fiz clique para abrir:

SEI O QUE ACONTECEU À SUA IRMÃ. ESTÁ A ACONTECER DE NOVO.

Quando a minha irmã tinha oito anos, desapareceu… mas depois voltou. O pior dia da sua vida não foi quando a irmã foi levada… foi o dia em que ela voltou.

 

Opinião dele

Quando soube que a autora de “O Homem de Giz”, C. J. Tudor, ia lançar outro livro fiquei deveras entusiasmado. “O Homem de Giz” aguçou-me a curiosidade pela autora, penso que foi pela forma peculiar da sua escrita. Dessa forma, embarquei nesta leitura com muito ánimo.

A história de “Levaram annie thorne” é narrada pelo irmão da vítima, Joe Thorne. Joe é um homem adulto perturbado pelo seu passado, marcado pelo desaparecimento da sua irmã mais nova. Este homem está longe de ser perfeito, é um misto de pessoa adorável com pessoa repugnante (adoro a forma como a autora desconstrói os protagonistas). Uma série de motivações leva Joe a voltar à sua cidade natal, tentando, dessa forma, cicatrizar as mágoas do passado.

Arnhil é uma cidade pequena, a autora descreve-a como uma cidade “quase” isolada. Após 25 anos a cidade mudou, mas as pessoas continuam as mesmas. As ideologias dos habitantes não manifestaram qualquer alteração desde os anos 90 (a autora, tal como fez no seu primeiro livro, descreve os habitantes da cidade como seres parados no tempo, pessoas agarradas ao passado).

Nas primeiras páginas do livro são apresentadas as personagens. Durante as primeiras 150 páginas a história não desenvolve, nem me prendeu como esperava que prendesse. Esta pequena lacuna torna a leitura inicial um pouco penosa e enfadonha. No entanto, à medida que o livro avança, a narrativa tem um ritmo alucinante, o que por vezes deixava-me sem folgo (de tanto entusiasmo). A forma como é explicado o desaparecimento de Annie é tenebrosa e macabra, consegui sentir a coluna arrepiar à medida que a explicação foi apresentada.

Um dos aspetos mais positivos do livro foi a incorporação do sobrenatural em todo o clima da narrativa. A autora conseguiu estruturar toda uma explicação lógica e coesa. O final é rápido e difícil de absorver tanta informação, no entanto todo o clima deixa o leitor com a cabeça à roda (considero um aspeto bastante positivo).

“Levaram annie thorne” não chega a ser tão bom como o primeiro, mas contém uma história bastante apelativa. Os fãs de sobrenatural deveriam de dar uma olhada neste livro.

Joe será um adulto inocente?

 

-L-

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.