Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Debaixo Da Língua

Debaixo Da Língua

Marcados - 2ª temporada, parte 1 de L e J

31113735_1913407375359311_698290798_n.jpg

 

 

- Cris… Cris… Cristiano?

Deixaram a porta entreaberta? Estranho. O Cristiano nem desconfia, eu e a sua mãe vamos fazer uma festa surpresa. Ele vai adorar.

Nestes últimos tempos tenho-o sentido tão triste, o seu olhar brilhante transformou-se num olhar distante, desiludido e assustado. Que estará a acontecer com ele? Estará apaixonado?

 

 

Sinto alguém atrás de mim, viro-me de repente e dou um grande grito.

- Desculpa Maria, não te queria assustar. – Diz Ana, mãe de Cristiano.

- Não tem mal, o Cristiano está?

- Sim, deve estar no quarto.

- Eu chamei por ele, mas ninguém respondeu.

- Deve estar com os phones. Eu fui à pastelaria buscar o bolo dele. Vamos entrar, para eu colocar o bolo no frigorífico.

Entramos, a casa estava com o aroma a pêssego, dirigimos-nos à cozinha para guardar o bolo no frigorífico.

- Maria? Posso-te fazer uma pergunta? – Pergunta Ana, sinto que a sua voz estremeceu ao dizê-lo.

 

Sentamos-nos as duas no balcão da cozinha.

 

- Claro que sim, dona Ana. – Digo apressadamente, no entanto sei qual será a pergunta.

- Sabes o que se passa com o meu filho? Eu sinto-o muito abatido nos últimos tempos. Eu sei que a insígnia o veio deixar muito nervoso e abatido. No entanto, não pode ser só isso. Ele chora todos os dias, tem constantemente pesadelos. Será por causa da escola? Eu sei que ele gosta de ti, tu deves saber de alguma coisa.

Como assim ele gosta de mim? A insígnia? Ele nunca me contou da insígnia que recebeu, sempre disse que era surpresa. Estou assustada, sinto que o meu chão desabou, não estou a entender nada.

- Qual insígnia? Ele gosta de mim? Desculpe dona Ana, mas não estou a entender nada. – Digo apressadamente com a cabeça numa confusão tremenda.

- Não? Desculpa Maria, desculpa. – Dona Ana abraça-me e desata a chorar.

- Não estou a entender. O que se passa com o Cristiano? – Pergunto olhando-a nos olhos.

- É melhor subires e falares com ele. Desculpa-me querida.

 

 

A subir ao primeiro andar sinto a cabeça à roda. O que é que está acontecer? Não sei o que se está a passar. Porque a insígnia o pode ter assustado tanto? Ele gosta de mim? Como assim? Como amigo, certamente é essa a resposta.

 

 

- Cris … Cristiano posso entrar? – Digo ao bater à porta.

Ninguém me responde.

- Cris? – Bato mais fortemente, se ele estiver com os phones não me vai ouvir.

Abro a porta lentamente, está tudo escuro. Quase tropeço numa cadeira que está no chão. Ao virar-me deparo-me com o Cristiano dependurado. Grito em plenos pulmões, os olhos enchem-me de lágrimas. Tento agarra-lo, está gelado, está sem vida…

- CRIS… CRISTIANOOO … - grito descontroladamente.

Abraço-o, quero senti-lo, quero-o aqui comigo.

A insígnia! Olho para o seu pulso, é a insígnia do espaço.

- Meu amor tu ias partir, porque nunca falas-te comigo? Eu amo-te Cristiano.

Eu sei que não me ouves. Eu amo-te tanto.

Porque nunca lhe contei?

 

-L&J-

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.